quarta-feira, dezembro 22, 2010

Tipologia na Identidade Visual (continuando)

Futura Medium BT
No mesmo momento em que você está desenvolvendo sua Logomarca, comece a pensar na tipografia institucional, a família de letras, a tipologia que irá compor e acompanhar seu projeto e dê prefência, se possível,a tipologia bastonada sem serifa ou se preferir com serifa, mas escolha uma família que tenha uma boa leitura ou, ainda, caso você tenha paciência, se o projeto merecer e compensar, crie uma família própria para seu projeto gráfico, sempre pense em valorizar ao máximo seu trabalho final. Nunca se esqueça que letras serifadas são boas para leitura de textos extensos, livros, revistas pelo fato delas darem continuidade pela serifa...parecem que as letrinhas estão dando as mãos.
Aldine 721 BT
Atualmente, tenho visto muitos projetos gráficos que você vê que o criador não tem sensibilidade, não tem arte, sei lá! Eu defendo a prova de habilidade específica para quem quer ingressar numa faculdade para ser designer ou diretor de arte ou qualquer carreira que lide com esta mistura de arte, técnica e criatividade. Tenho visto muita porcaria por aí, mas , graças a Deus!...muita coisa boa também. Hoje o designer tem uma ferramenta que facilita e muito seu trabalho: O COMPUTADOR, softwares gráficos que só faltam falar e trabalhando com sistema WYSWYG, "What You See Is What You Get", cuja tradução remete a algo como "O que você vê é o que você obtem". Mas o que isso significa? Significa a capacidade de um programa de computador de permitir que um documento, uma imagem, uma ilustração, enquanto manipulado na tela, tenha a mesma aparência de sua utilização, usualmente sendo considerada muito próxima a artefinal da forma impressa. O uso inicial do termo foi relacionado a editores de texto, agora porém é aplicado a qualquer tipo de programa (veja na wikipedia),  mas também em função disto tenho visto muito clipart ou rendering de artes existentes ou cópias mesmo, que o "ARTISTA" acha que sabe tudo de design só porque fez algo bonitinho no PC, mas não tem técnica nenhuma. As pessoas dão  muito valor ao visual, sem se preocupar com a técnica, o custo de produção, o manuseio e , sobretudo, se o projeto vai atingir seus objetivos.
Quando fiz Pós-graduação em Tecnologia de Informação me especializei em Internet, fui fazer o curso "me achando", pensei que era um curso de Web Designer de longa duração...quebrei a cara, era programação pura + Web Designer e detalhe: Não podíamos usar Editores para Web (Dreamweaver,Front Page, Homesite, etc), era na munheca ou seja no Notepad mesmo, sofri mas foi bom, saí com uma nova impressão sobre Web.
(continua)
Postar um comentário