sábado, agosto 08, 2009

O palco do Artista Gráfico: ..."O papel!"

Em tempos difíceis como os de hoje é complicado falar da principal mídia do Artista Gráfico: "O Papel". Além de caro ele é o vilão para a ecologia hoje, mas quem disse que não podemos usá-lo? Ou substituí-lo? E nós artistas gráficos como ficamos?...No século do politicamente correto devemos dar prioridade ao papel de reflorestamento e ao reciclado, na impossibilidade, usem a internet que é um grande divisor de águas e divulgadora de trabalhos gráficos. Internet???... Claro, o fato do objeto não estar impresso em papel não tira sua característica e sua apresentação gráfica, certo!...Ou vamos sucumbir a mudança comportamental e deixarmos de existir? Nem pensar! Internet, televisão, páneis eletrônicos, mídia digital, banners, back-light, até apresentações em Power Point, tudo tem a criação gráfica e diagramação, ou vamos deixar o mau gosto e a poluição visual tomar conta do mercado?
Bom chega de filosofia e vamos continuar falando sobre papéis.
Vou usar como referência meu conhecimento técnico e texto de alguns livros de profissionais do ramo. Vejam abaixo:
Papel Off-set = É um papel resistente à ação da umidade; resistente ao atrito e o tensionamento das máquinas off-set; sem falhas, rugas e penugem; de superfície lisa. uniforme e sem deformações, próprio para uso em máquinas off-set.
Papel Couchê = Que em francês significa camada, é um papel que , como o proprio nome diz, é recoberto em sua face com uma fina camada de substância mineral inorgânica que lhe dá um aspecto brilhante, também encontrado na forma de couchê mate (ou couchê fôsco) que tem uma superfície menos lúcida e opaca, ideal para impressão de textos conferindo-lhe um aspecto sofsiticado.
Papel LWC e MWC= São papéis para impressão de revistas do tipo Veja, Exame, etc...são papéis de compra restrita para máquinas rotativas com forno de secagem, tem baixa gramatura e excelente resistência ao tensionamento das máquinas.
Papel Filigranado = Papel filigrana é aquele que contém diversos elementos que impedem a sua reprodução, é também conhecido como marca-d`àgua. Ele é impresso sob encomenda, moldado na massa de papel sob maior ou menor densidade de pasta, quando do processo de fabricação, formando-se imagens definidas e incorporando também os outros elementos. Você identifica-os facilmente colocando-os de contra-luz, assim você consegue ver a gravura em relêvo, um desenho transparente que aparece impresso dentro do papel.
Papel Bond = Papel leve muito comum sua utilização em folhas de continuação de formulários, gramatura baixa, você já deve ter visto um e nem sabe, sabe aquele papel fino que vem com as notas ficais de compras? É ele!
Papel Kraft = Como o nome sugere é um papel muito resistente(Kraft=força), de cor parda, feito com pasta de madeira tratada pelo sulfato de sódio, muito usado em embrulhos, muito bom em trabalhos gráficos com fundo artesanal ou xilografia, vai da criatividade do artista.
Papel Manteiga = É um papel translúcido com PH neutro livre de ácido é indicado para esboço e desenho a lápis, muito usado nas mercearias e cozinhas para embrulhar manteiga, banha, assados, bolos, etc... ainda é muito usado para rascunhar desenhos, seu nome popular é este mas o nome técnico é papel siliconado.
Papel Paraná ou cartão Paraná = É o cartão fabricado com fibras geralmente virgens de pasta mecânica ou mecanoquímica, muito utilizado em simulações de displays, maquetes, etc...
Papel Pluma = Ou Spumapaper, Foam Board ou Depron, eu prefiro chamá-lo de Papel Pluma, é um papel excelente para confecção de maquetes, consiste numa placa de isopor laminado recoberto com um papel de alta gramatura e grande variedade de cores.
Papel Reciclado = Como o próprio nome sugere é um papel reaproveitado através da reciclagem de papéis usados, ainda estamos distante de termos um papel reciclado de alta alvura mas caminhamos para lá, muitas empresas e órgãos públicos já fazem dele o papel para as impressões do dia-a-dia e a natureza agradece.
Postar um comentário